Atendimentos

Atuo em consultório, nas cidades de Charqueadas/RS, Triunfo/RS e São Jerônimo/RS, através das seguintes técnicas: Auriculoterapia, Reiki, Karuna Reiki, Apometria Quântica, Psicoterapia Reencarnacionista (regressão terapêutica em adultos e crianças), radiestesia, radiônica, fitoenergética e limpeza energética pessoal.
Ministro cursos em diversas cidades do Estado, mediante agendamento prévio, os quais estão relacionados na sessão “Cursos”, conforme segue abaixo,
https://floresdaalmacentrodeyoga.wordpress.com/category/cursos/

Contato: universoconsciencia@gmail.com
Fone: 51 9852-7042

Anúncios

Chakras – ferramentas auxiliares no autoconhecimento

Imagem
Chakra é uma palavra sânscrita que significa roda ou roda de luz. Os chakras são vórtices de energia localizados no nosso campo áurico, com a função de captar, transformar e distribuir energia. Através deles recebemos, doamos e perdemos energia vital.
Acredita-se que cada célula possui um chakra, que é um portal de consciência, que nos mostra aspectos físicos, emocionais, mentais e espirituais, a serem trabalhados internamente. Contudo, sete são os chakras principais, e cada um deles está relacionado à uma glândula endócrina e uma camada da aura. São a porta de entrada para saúde ou doença no corpo. Por meio do estudo dos chakras, no reiki, por exemplo, compreendemos nossas emoções, pensamentos e sentimentos, pois são grandes ferramentas auxiliares de autoconhecimento.
Vejamos algumas características destes centros de energia:

1º CHACRA OU BÁSICO/BASE/RAIZ

Nível de consciência: vinculação com o mundo material, energia física, sobrevivência, existência terrena. É nossa ligação com o Planeta Terra.

Em equilíbrio: satisfação em estar na Terra, admiração e felicidade com as conquistas pessoais e com o local onde vive, iniciativa para atingir metas,tranquilidade, segurança financeira, estabilidade.

Emoções desalinhadas: falta de entusiasmo, desconfiança, medos indefinidos, pessimismo, incapacidade de luta, dependência, insatisfação com a vida.

Doenças: intestino preso, problemas na coluna, nos pés, problemas renais, dores lombares, pressão baixa.

Elemento: Terra    Mantra: Lam

Como alinhar? Contato com a terra, roupas vermelhas, bater pés no chão, caminhar, correr, massagem, comer, dormir, além de se autoanalisar e buscar compreender seus bloqueios relacionados a esses aspectos. 

2º CHACRA: UMBILICAL, SEXUAL OU SACRO

 Nível de consciência: vinculado aos relacionamentos, consigo próprio e com o outro, prazeres, autoestima, fertilidade, relações afetivas.

Em equilíbrio: Amor e prazer pela vida, aceitação do corpo e da própria natureza, abertura para coisas novas, harmonia nos relacionamentos.

Emoções desalinhadas: medo da proximidade física e de mudanças, não aceitação do corpo, mania de limpeza, rejeição familiar, medo da vida.

Doenças: cólicas menstruais, problemas renais, miasmas e cistos nos ovários, útero, próstata, obesidade, desordens rítmicas, problemas sexuais, timidez.

Elemento: Água    Mantra: Vam

Como alinhar? Contato com água, roupa laranja, dançar, fazer círculos com os quadris.

3º CHACRA: PLEXO SOLAR

 Nível de consciência: relacionado ao poder pessoal, a personalidade, autonomia, à vontade de saber e aprender, as emoções fortes, ego

Em equilíbrio: Poder pessoal, iniciativa, força para agir, paciência, auto-aceitação, harmonia dos atributos físicos e mentais, coragem e força para conquistas, acesso da sabedoria do inconsciente

Emoções desalinhadas: medo, raiva, vingança, tristeza, depressão, ansiedade, impaciência, egoísmo, consumismo, inveja, orgulho, ego, mania de controle, insegurança, dependência, arrogância.

Doenças: úlcera, gastrite, câncer no estômago, diabetes, compulsão por alimentos, stress.

Elemento: Fogo    Mantra: Ram

Como alinhar? Yoga, reiki no terceiro chacra, pilates, rir, usar roupas amarelas

4º CHACRA: CARDÍACO

Nível de consciência: relacionado ao amor incondicional, equilíbrio, compaixão, perdão, gratidão

Em equilíbrio: Gratidão e amor pela vida, compreensão de nossa missão evolutiva, auxílio sem esperar recompensas, amor incondicional por todos os seres vivos, compreensão, paciência, tranquilidade, amor próprio, desapego, alegria, cura.

Emoções desalinhadas: ingratidão, crítica excessiva, julgamento alheio, não achar graça na vida, incompreensão, insensibilidade, amargura, dificuldade de relacionamento consigo mesmo, falta de amor próprio, apego, medo da morte, tristeza.

doenças: pulmões, taquicardia, infarto, gripe, resfriados, pressão alta

Elemento: Ar    Mantra: Yam

Como alinhar? Contato com a natureza, abraçar árvores, usar a cor e cristais verdes.

5º CHACRA: LARÍNGEO

Nível de consciência: comunicação com o mundo, realização de projetos, criatividade, responsabilidade com palavras.

Em equilíbrio: facilidade de expressar conceitos mentais, boa comunicação, falada e/ou escrita, disposição para realização de metas, bom ouvinte, talentos relacionados ao som e linguagem, fala com amor e compreensão

Emoções desalinhadas: dificuldade na comunicação escrita e falada, não conseguir expressar pensamentos, medo de realizar projetos, medo da exposição, desconexão com o mundo, queijo inclinado na região da laringe ou “nariz para o ar”, medo da desaprovação.

Doenças: dor de garganta, câncer na garganta, torcicolo, distúrbios na tireoide, dores no pescoço, ombros, herpes, renite.

Elemento: Éter e/ou Som    Mantra: Ham

Como alinhar? Cantar, falar, escrever, gravar a própria voz, usar roupas e cristais da cor azul.

6º CHACRA: FRONTAL

Nível de consciência: pensamento, dádiva da visão interior e exterior, intuição, paranormalidade, raciocínio lógico, visão de mundo, vidência, percepção, conhecimento, liderança, percepção extra-sensorial.

Em equilíbrio: Intuição aguçada, poder mental, equilíbrio razão/emoção, facilidade para meditação, compreensão de conceitos mentais, visão das belezas do Universo, busca de conhecimento espiritual.

Emoções desalinhadas: pensamentos confusos, memória ruim, dificuldade de compreensão de conceitos mentais, mente extremamente racional, não compreensão de conceitos espirituais, energéticos, pessimismo, negativismo, desânimo, medo de aparições, alienação do trabalho.

Doenças: dor de cabeça, cegueira, pesadelos, tensão ocular, síndrome do pânico, vícios.

Elemento: Luz    Mantra: Om

Como alinhar? Meditação, passeios na natureza, apreciar o sol, o mar, silêncio, roupas e cristais na cor azul índigo, meditação com cores dos chakras.

7º CHACRA: CORONÁRIO/COROA

 Nível de consciência: É a luz do conhecimento e consciência, espiritualidade, conexão com o Eu Superior, fé, transcendência.

Em equilíbrio: Visão global do Universo, compreensão do caminho espiritual, da missão de alma, serenidade espiritual, compreensão e ligação com Energias Superiores. Elo entre mente espiritual e cérebro físico, integração do físico, mental, emocional e espiritual.

Emoções desalinhadas: depressão, tendência suicida, falta de fé, não compreensão da própria origem, alienação, confusão, visão materialista, revolta.

Doenças: câncer na cabeça, desordens no sistema nervoso, desintegração do relógio biológico e do sono, histeria, possessão, neurores, obsessão.

Elemento: Pensamento    Mantra: Não possui

como alinhar? Meditação, terapia, reforma íntima, uso do cristal ametista, roupas violetas.

* Texto retirado da apostila do Curso de Reiki I, elaborado pela Mestre de Reiki Viviane Draghetti.

Vídeo

Cara a cara com Jung

Entrevista com o psiquiatra Carl Gustav Jung. 22 de Outubro de 1959. Programa Face To Face da BBC.

Carl Gustav Jung foi um psiquiatra e psicoterapeuta suíço que fundou a psicologia analítica. Jung propôs e desenvolveu os conceitos da personalidade extrovertida e introvertida, arquétipos, e o inconsciente coletivo. Seu trabalho tem sido influente na psiquiatria e no estudo da espiritualidade, literatura e áreas afins.

Princípios Herméticos – Livro O Caibalion

Os Sete Princípios Herméticos
“Os Princípios da Verdade são Sete; aquele que os conhece perfeitamente, possui a Chave Mágica
com a qual, todas as Portas do Templo podem ser abertas completamente. ” – O CAIBALION.
Os Sete Princípios em que se baseia toda a Filosofia hermética são os seguintes:
I . O Princípio de Mental ismo.
I I . O Pr incípio de Cor respondência.
I I I. O Pr incípio de Vibração.
5
IV. O Pr incípio de Polaridade.
V. O Pr incípio de Ritmo.
VI . O Pr incípio de Causa e Eleito.
VI I. O Pr inc ípio de Gênero.
Estes Sete Pr incípios podem ser expl icados e explanados, como vamos fazer nesta l ição. Uma
pequena explanação de cada um deles pode ser feita agora, e é o que vamos fazer .
I . O Principio do Mentalismo
“O TODO é MENTE; o Universo é Mental. ” O CAIBALION.
Este Pr incípio contém a verdade que Tudo é Mente. Expl ica que O TODO (que é a Realidade
substancial que se oculta em todas as mani festações e aparênc ias que conhecemos sob o nome de
Universo Material, Fenômenos da Vida, Matér ia, Energia, numa palavra, sob tudo o que tem
aparência aos nossos sent idos materiais) é ESPÍRITO, é Incognoscível e INDEFINIVEL em s i
mesmo, mas pode ser considerado como uma MENTE VIVENTE INFINITA e UNIVERSAL.
Ensina também que todo o mundo fenomenal ou universo é simplesmente uma Criação Mental do
TODO, sujeita às Leis das Coisas criadas, e que o univer so, como um todo, em suas par tes ou
unidades, tem sua existência na mente do TODO, em cuja Mente vivemos, movemos e temos a
nossa existência. Este Pr incípio, estabelecendo a Natureza Mental do Universo, explica todos os
fenômenos mentais e psíquicos que ocupam grande parte da atenção pública, e que, sem tal
expli cação, ser iam ininteligívei s e desafiariam o exame c ientí f ico.
A compreensão deste Princípio hermét ico do Mental ismo habili ta o indivíduo a abarcar prontamente
as leis do Universo Mental e a apli car o mesmo Pr incípio para a sua felicidade e adiantamento. O
estudante hermet ista ainda não sabe apl icar inteligentemente a grande Lei Mental, apesar de
empregá-la de manei ra casual .
Com a Chave-Mest ra em seu poder , o estudante poderá abr i r as diver sas por tas do templo psíquico
e mental do conhecimento e ent rar por elas livre e inteligentemente. Este Pr incípio explica a
verdadei ra natureza da Força, da Energia e da Matéria, como e por que todas elas são
subordinadas ao Domínio da Mente. Um velho Mest re hermét ico escreveu, há mui to tempo: “Aquele
que compreende a verdade da Natureza Mental do Universo está bem avançado no Caminho do
Domínio. ” E estas palavras são tão verdadeiras hoje, como no tempo em que foram escr i tas. Sem
esta Chave-Mest ra, o Domínio é impossível , e o estudante baterá em vão nas diversas portas do
Templo.
I I . O Pr incipio de Cor respondência
“O que está em cima é como o que está embaixo, e o que está embaixo é como o que está em
cima”. O CAIBALION.
Este Pr incípio contém a verdade que existe uma cor respondência ent re as leis e os fenômenos dos
diver sos planos da Existência e da Vida. O velho axioma hermét ico diz estas palavras: “O que está
em cima é como o que está embaixo, e o que está embaixo é como o que está em cima”. A
compreensão deste Pr incípio dá ao homem os meios de expli car muitos paradoxos obscuros e
segredos da Natureza. Existem planos fora dos nossos conhecimentos, mas quando lhes apli camos
o Princípio de Cor respondência chegamos a compreender muita coisa que de out ro modo nos ser ia
impossível compreender . Este Pr incípio é de apl icação e mani festação universal nos diversos planos
do universo mater ial, mental e espi r itual: é uma Lei Universal.
Os ant igos Hermet i stas consideravam este Princípio como um dos mais impor tantes inst rumentos
mentais, por meio dos quai s, o homem pode ver além dos obs táculos que encobrem à vista o
Desconhecido. O seu uso constante rasgava aos poucos o véu de Isis e um vislumbre da face da
deusa podia ser percebido. Justamente do mesmo modo que o conhecimento dos Pr incípios da
Geomet r ia habi l ita o homem, enquanto est iver no seu observatór io, a medi r sóis longínquos, assim
também o conhecimento do Pr incípio de Cor respondência habil ita o Homem a raciocinar
intel igentemente, do Conhecido ao Desconhecido. Estudando a mônada, ele chega a compreender o
arcanjo.
I I I. O Pr incípio de Vibração
6
“Nada es tá parado; tudo se move; tudo vibra. ” – O CAIBALION.
Este Pr incípio encer ra a verdade que tudo está em movimento: tudo vibra; nada está parado; fato
que a Ciência moderna observa, e que cada nova descoberta cient í f ica tende a conf irmar . E,
contudo este Princípio hermét ico foi enunciado há mi lhares de anos pelos Mest res do ant igo Egito.
Este Princ ípio expl ica que as di ferenças ent re as diversas manifestações de Matér ia, Energia, Mente
e Espí r i to, resul tam das ordens var iávei s de Vibração. Desde O TODO, que é Puro Espír ito, até a
forma mais grossei ra da Matér ia, tudo está em vibração; quanto mais elevada for a vibração, tanto
mais elevada será a posi ção na escala. A vibração do Espí r ito é de uma intensidade e rapidez tão
inf ini tas que prat icamente ele está parado, como uma roda que se move mui to rapidamente parece
estar parada.
Na ext remidade infer ior da escala estão as grossei ras formas da matér ia, cujas vibrações são tão
vagarosas que parecem estar paradas. Ent re estes pólos exi stem milhões e milhões de graus
diferentes de vibração. Desde o corpúsculo e o elét ron, desde o átomo e a molécula, até os
mundos e universos, tudo está em movimento vibratório. Isto é verdade nos planos da energia e da
força (que também var iam em graus de vibração) ; nos planos mentais (cujos estados dependem
das vibrações) , e também nos planos espi r i tuais.
O conhecimento deste Pr incípio, com as fórmulas apropr iadas, permite ao estudante hermet ista
conhecer as suas vibrações mentai s, as sim como também a dos out ros. Só os Mest res podem
apli car este Pr inc ípio para a conquis ta dos Fenômenos Naturais, por diversos meios. “Aquele que
compreende o Pr incípio de vibração alcançou o cet ro do poder “, diz um esc ri tor antigo.
IV. O Pr incipio de Polaridade
“Tudo é Duplo; tudo tem pólos; tudo tem o seu oposto; o igual e o desigual são a mesma coisa; os
opostos são idênti cos em natureza, mas di ferentes em grau; os ext remos se tocam; todas as
verdades são meias verdades; todos os paradoxos podem ser reconci l iados. ” O CAIBALION.
Este Pr incípio encer ra a verdade: tudo é Duplo; tudo tem dois pólos; tudo tem o seu oposto, que
formava um velho axioma hermét ico. Ele expl ica os velhos paradoxos, que deixaram mui tos homens
perplexos, e que foram estabelecidos assim: A Tese e a Ant í tese são idênt icas em natureza, mas
diferentes em grau; os opostos são a mesma coi sa, difer indo somente em grau; os pares de
opostos podem ser reconci liados; os ext remos se tocam; tudo existe e não existe ao mesmo tempo;
todas as verdades são meias-verdades; toda verdade é meio-fal sa; há dois lados em tudo, etc. ,
etc.
Ele explica que em tudo há dois pólos ou aspectos opostos, e que os opostos são simplesmente os
dois ext remos da mesma coisa, consist indo a di ferença em var iação de graus. Por exemplo: o Calor
e o Frio, ainda que sejam; opostos, são a mesma coisa, e a diferença que há ent re eles consiste
simplesmente na var iação de graus dessa mesma coi sa.
Olhai para o vosso termômet ro e vede se podereis descobr i r onde termina o calor e começa o f r io!
Não há coisa de calor absoluto ou de f r io absoluto; os dois termos calor e fr io indicam somente a
var iação de grau da mesma coi sa, e que essa mesma coisa que se manifesta como calor e f r io nada
mais é que uma forma, var iedade e ordem de Vibração.
Assim o calor e o f r io são unicamente os dois pólos daqui lo que chamamos Calor; e os fenômenos
que daí decor rem são manifestações do Pr incípio de Polaridade. O mesmo Princípio se manifesta no
caso da Luz e da Obs curidade, que são a mesma coisa, consist indo a di ferença simplesmente nas
var iações de graus ent re os dois pólos do fenômeno Onde ces sa a obscur idade e começa a luz?
Qual é a diferença ent re o grande e o pequeno? Ent re o for te e o fraco? Ent re o branco e o preto?
Ent re o per spicaz e o néscio? Ent re o alto e o baixo? Ent re o posi t ivo e o negat ivo.
O Pr incípio de Polar idade explica estes paradoxos e nenhum out ro pr incípio pode excedê-lo. O
mesmo pr incípio opera no Plano mental . Permit iu-nos tomar um exemplo ext remo: o do Amor e o
ódio, dois estados mentais em aparência totalmente diferentes. E, apesar disso, existem graus de
ódio e graus de Amor , e um ponto médio em que usamos dos termos Igual ou Desigual, que se
encobrem mutuamente de modo tão gradual que às vezes temos di f iculdades em conhecer o que
nos é igual, desigual ou nem um nem out ro. E todos são simplesmente graus da mesma coisa,
como compreendereis se meditardes um momento. E mais do que isto (coisa que os Hermet istas
7
consideram de máxima impor tância) , é pos sível mudar as vibrações de ódio em vibrações de
Amor , na própr ia mente de cada um de nós e nas mentes dos out ros.
Muitos de vós, que ledes estas l inhas, t iveram exper iências pessoais da t ransformação do Amor em
ódio ou do inverso, quer i sso se desse com eles mesmos, quer com out ros.
Podeis, pois tornar possível a sua real ização, exercitando o uso da vossa Vontade por meio das
fórmulas hermét icas. Deus e o Diabo, são, pois, os pólos da mesma coisa, e o Hermet ista entende
a ar te de t ransmutar o Diabo em Deus, por meio da aplicação do Princípio de Polar idade.
Em resumo, a Ar te de Polaridade f ica sendo uma fase da Alquimia Mental , conhecida e prat icada
pelos ant igos e modernos Mestres hermet istas.
O conhecimento do Pr incípio habi li tará o discípulo a mudar a sua própr ia Polaridade, as sim como a
dos out ros, se ele consagrar o tempo e o estudo necessár io para obter o domínio da arte.
V. O Pr incipio de Ritmo
“Tudo tem f luxo e ref luxo; tudo em suas marés; tudo sobe e desce; tudo se mani festa por
osci lações compensadas; a medida do movimento à di rei ta é a medida do movimento à esquerda; o
r itmo é a compensação. ” O CAIBALION.
Este Pr incípio contém a verdade que em tudo se manifesta um movimento para diante e para t rás,
um f luxo e ref luxo, um movimento de at ração e repulsão, um movimento semelhante ao do
pêndulo, uma maré enchente e uma maré vazante, uma maré al ta e uma maré baixa, ent re os dois
pólos, que existem, conforme o Pr incípio de Polar idade de que t ratamos há pouco. Existe sempre
uma ação e uma reação, uma marcha e uma ret i rada, uma subida e uma des cida. Isto acontece nas
coisas do Universo, nos sóis, nos mundos, nos homens, nos animais, na mente, na energia e na
matér ia.
Esta lei é manifesta na cr iação e dest ruição dos mundos, na elevação e na queda das nações, na
vida de todas as coi sas, e f inalmente nos estados mentais do Homem (e é com estes úl t imos que
os Hermet istas reconhecem a compreensão do Pr incípio mais impor tante). Os Hermeti stas
compreenderam este Pr incípio, reconhecendo a sua apl icação universal, e descobri ram também
cer tos meios de dominar os seus efei tos no própr io ente com o emprego de fórmulas e métodos
apropr iados. Eles apl icam a Lei mental de Neut rali zação. Eles não podem anular o Pr incípio ou
impedi r as suas operações, mas aprenderam como se escapa dos seus efeitos na própr ia pessoa,
até um cer to grau que depende do Domínio deste Pr incípio. Aprenderam como empregá-lo, em vez
de serem empregados por ele.
Neste e nout ros métodos consiste a Ar te dos Hermet i stas. O Mest re dos Hermet istas polar izasse
até o ponto em que desejar , e então neutrali za a Oscilação Rí tmica pendular que tenderia a
ar rastá-lo ao out ro pólo.
Todos os indivíduos que at ingiram qualquer grau de Domínio própr io executam is to até um certo
grau, mais ou menos inconscientemente, mas o Mest re o faz conscientemente e com o uso da sua
Vontade, at ingindo um grau de Equilíbr io e Firmeza mental quase impossível de ser acredi tado
pelas massas populares que vão para diante e para trás como um pêndulo. Este Princípio e o da
Polar idade foram estudados secretamente pelos Hermet istas, e os métodos de impedi -los,
neut rali zá- los e empregá-los formam uma par te importante da Alquimia Mental do Hermet ismo.
VI . O Pr incipio de Causa e Efei to
“Toda a Causa tem seu Efei to, todo Efeito tem sua Causa; tudo acontece de acordo com a Lei; o
Acaso é simplesmente um nome dado a uma Lei não reconhecida; há mui tos planos de causal idade,
porém nada escapa à Lei . ” O CAIBALION.
Este pr incípio contém a verdade que há uma Causa para todo o Efeito e um Efeito para toda a
Causa. Expl ica que: Tudo acontece de acordo com a Lei, nada acontece sem razão, não há coisa
que seja casual ; que, no entanto, existem vár ios planos de Causa e Efei to, os planos super iores
dominando os planos infer iores, nada podendo escapar completamente da Lei .
8
Os Hermet istas conhecem a ar te e os métodos de elevar -se do plano ordinário de Causa e Efeito,
a um cer to grau, e por meio da elevação mental a um plano superior tomam- se Causadores em vez
de Efei tos.
As massas do povo são levadas para f rente; os desejos e as vontades dos out ros são mais for tes
que as vontades delas; a heredi tariedade, a sugestão e out ras causas exter iores movem-nas como
se fossem peões no tabulei ro de xadrez da Vida. Mas os Mest res, elevando-se ao plano super ior ,
dominam o seu gênio, caráter , suas qual idades, poderes, tão bem como os que o cercam e tornamse
motores em vez de peões. Eles ajudam a jogar a cr iação, quer f ísi ca, quer mental ou espi r itual,
é poss ível sem par t ida da vida, em vez de serem jogados e movidos por out ras vontades e
inf luências. Empregam o Pr incípio em lugar de serem seus inst rumentos. Os Mest res obedecem à
Causal idade do plano super ior, mas ajudam a governar o nosso plano.
Neste preceito está condensado um tesouro do Conhecimento hermét ico: aprenda-o quem quiser.
VI I. O Pr inc ipio de Gênero
“O Gênero está em tudo; tudo tem o seu pr incípio mascul ino e o seu pr incípio feminino; o gênero
se mani fes ta em todos os planos. ” O CAIBALION.
Este pr incípio encer ra a verdade que o gênero é manifestado em tudo; que o pr incípio mascul ino e
o pr incípio feminino sempre estão em ação. Isto é cer to não só no Plano f ísi co, mas também nos
Planos mental e espi r itual . No Plano f ís ico este Princípio se manifesta como sexo, nos planos
super iores toma formas super iores, mas é sempre o mesmo Pr incípio.
Nenhuma cr iação, quer f í sica, quer mental ou espi r itual, é possível sem este princípio. A
compreensão das suas leis poderá esclarecer mui tos assuntos que deixaram perplexas as mentes
dos homens.
O Pr incípio de Gênero opera sempre na direção da geração, regeneração e c riação. Todas as coisas
e todas as pessoas contêm em s i os dois Elementos deste grande Pr incípio.
Todas as coisas, machos, têm também o elemento feminino; todas as coisas, fêmeas, têm o
elemento mascul ino. Se compreenderdes a f ilosof ia da Criação, Geração e Regeneração mentai s,
podereis estudar e compreender este Pr incípio herméti co. Ele contém a solução de mui tos mistér ios
da Vida. Nós vos adver t imos que este Pr incípio não tem relação alguma com as teor ias e prát i cas
luxur iosas, pernic iosas e degradantes, que têm t ítulos empolgantes e fantást icos, e que nada mais
são do que a prost ituição do grande pr incípio natural de Gênero. Tais teor ias, baseadas nas ant igas
formas infamantes do Falicismo, tendem a ar ruinar a mente, o corpo e a alma; e a Fi losof ia
hermét ica sempre publ icou notas severas contra estes preceitos que tendem à luxúr ia, depravação
e perversão dos pr incípios do Natureza.
Se desejai s tais ensinamentos podei s procurá-los nout ra par te: o Hermet ismo nada contém nestas
l inhas que sirva para vás. Para aquele que é puro, todas as coi sas são puras; para os vis, todas as
coisas são vis e baixas.

** Hermetismo é o estudo e prática da filosofia oculta da magia associados a escritos atribuídos a  Hermes Trismegisto, uma deidade sincrética que combina aspectos do deus grego Hermes e do deus egípcio Thoth. Os escritos mais importantes atribuídos a Hermes são a Tábua de Esmeralda  e os textos do Corpus Hermeticum. Estas crenças tiveram influência na sabedoria oculta européia,  desde a Renascença, quando foram reavivadas por figuras como Giordano Bruno e Marsílio Ficino.

Sal grosso e suas propriedades de limpeza

O sal grosso é considerado um potente purificador de ambientes.
Povos distintos usam o sal para combater o mau-olhado, e deixar a casa a salvo de energias nefastas.
O sal é um cristal e por isso emite ondas eletromagnéticas que podem ser medidas pelos radiestesistas.
Ele tem o mesmo comprimento de onda da cor violeta, capaz de neutralizar os campos eletromagnéticos negativos
Visto ao microscópio o sal bruto revela que é um cristal, formado por pequenos quadrados ou cubos achatados.

As energias densas costumam se concentrar nos cantos da casa, por isso, colocar um copo de água com sal grosso ou sal de cozinha equilibra essas forças e deixa a casa mais leve. Para uma sala média onde não circula muita gente, um copo de água com sal em dois cantos é suficiente. Em dois ou três dias, já se percebe a diferença. Quando se formam bolhas é hora de renovar a salmoura.

A solução de água e sal também é capaz de puxar os íons positivos, isto é, as partículas de energia elétrica da atmosfera, e reequilibrar a energia dos ambientes. Principalmente em locais fechados, escuros ou mesmo antes de uma tempestade, esses íons têm efeito intensificador e podem provocar tensão e irritação.

A prática simples de purificação com água e sal deve ser feita à menor sensação de que o ambiente está carregado, depois de brigas ou à noite, no quarto, para que o sono não seja perturbado.

Já foi considerado o ouro branco (salmoura para conservar alimentos).
Os povos foram desenvolvendo técnicas de usar o sal, como as abaixo descritas:

Uma pitada de sal sobre os ombros afasta a inveja.

Para espantar o mau-olhado ou evitar visitas indesejáveis, caboclos e caipiras costumam colocar uma fileira de sal na soleira da porta ou um copo de salmoura do lado esquerdo da entrada.

A mistura de sal com água ou álcool absorve tudo de ruim que está no ar, ajuda a purificar e impede que a inveja, o mau-olhado e outros sentimentos inferiores entrem na casa.

Depois de uma festa, lavar todos os copos e pratos com sal grosso para neutralizar a energia dos convidados, purificando a louça para o uso diário.

Na tradição africana, quando alguém se muda, as primeiras coisas a entrar na casa são: um copo de água e outro com sal.

Usam sal marinho seco, num pires branco atrás da porta para puxar a energia negativa de quem entra.

Também tomam banho com água salgada com ervas para renovar a energia interna e a vontade de viver.

No Japão, o sal é considerado poderoso purificador.
Os japoneses mais tradicionais jogam sal todos os dias na soleira das portas e sempre que uma visita mal vinda vai embora.

Símbolo de lealdade na luta de sumô.
Os campeões jogam sal no ringue para que a luta transcorra com lealdade. Use esse poderoso aliado!

É barato, fácil de encontrar, e pode lhe ajudar em momentos de dificuldade e de esgotamento energético!

Modo de tomar o banho de sal grosso

Após seu banho convencional, deixe um punhado de sal grosso escorrer do pescoço para baixo, embaixo da água da ducha.

Banho de sal grosso e o antigo escalda-pés (mergulhar os pés em salmoura bem quente) têm o poder de neutralizar a eletricidade do corpo.

Para quem mora longe da praia é um ótimo jeito de relaxar e renovar as energias.

Tomar banho de água salgada com bicarbonato de sódio descarrega as energias ruins e é relaxante.

O famoso banho de assento, com água morna e bicarbonato de sódio, é excelente para a higiene íntima, pois evita infecções.

Mas no banho, o único cuidado é não molhar a cabeça, pois é aí que mora o nosso espírito e ele não deve ser neutralizado.
Uma opção que agrada muitas pessoas é colocar um punhado de sal dentro de uma meia, e repousar esta na nuca (atrás do pescoço) debaixo da ducha.
Não são aconselháveis banhos frequentes com o sal.
Dê preferência para os banhos na fase da Lua Cheia, utilize velas no banheiro, e se quiser ativar sua intuição, apague as luzes do banheiro.

Benefícios de banhos e escalda pé com sal grosso. •

Fisiológicos:
Ajuda a desintoxicar o corpo e afastar os vírus.
Estimula a circulação natural para a melhoria da saúde
Ajuda a aliviar o pé do atleta, calos e calosidades.
Relaxa a tensão, dores musculares e nas articulações.
Ajuda a aliviar artrite e reumatismo
Ajuda a aliviar a dor lombar crônica

Benefícios estéticos:
Tira as impurezas da pele
Alivia irritações da pele como psoríase /eczema.
Alivia comichão, ardor e picadas.
Suaviza e amacia a pele• Incentiva a pele se renovar.
Ajuda a curar as cicatrizes.
Restaura o equilíbrio a umidade da pele.

Ocupacional:
Alivia o cansaço, os pés doloridos e os músculos da perna
Alivia a tensão nas mãos e punhos.
Ajuda a aliviar lesões ocorridas nas práticas esportivas.

Psicofísica:
Proporciona um relaxamento profundo
Ajuda a aliviar o estresse e tensão

http://aalmadascoisas-annapon.blogspot.com.br/2012/12/sal-grosso-propriedades.html

Medo

“O homem fica destemido aceitando seus medos. Não é uma questão de bravura. Basta simplesmente olhar para os fatos da vida e perceber que esses medos são naturais.

Então quando eu digo que você vai se livrar do medo, não quero dizer que nunca mais vai sentir medo na vida. Você só vai perceber que 99% dos seus medos não passam de imaginação. Dez por cento são reais, então só lhe cabe aceitá-los. Eu não faço ninguém ficar destemido. Faço com  que as pessoas sejam mais compreensivas, sensíveis, alertas e este estado alerta é suficiente. Elas se dão conta de que podem usar o medo em benefício próprio. Então, nada de se preocupar, hem?”

Osho – Coragem  O prazer de viver perigosamente, pg. 162.

Nunca é tarde para recomeçar em outra atividade

Tranquila Mente

Imagem

São Paulo – Nunca é tarde para recomeçar, embora o mais difícil seja reconhecer para si mesmo a insatisfação com a profissão, largar tudo e começar praticamente do zero, para buscar algo que realmente gosta e proporciona mais prazer. “ muito comum as pessoas considerarem a profissão que têm como um ativo pessoal que não pode ser modificado, mesmo que esta lhe esteja frustrando as expectativas e não esteja lhe trazendo felicidade, reconhecimento ou dinheiro esperados”, afirma o empresário, escritor e especialista dos campos da Ciência e Espiritualidade, Daniel Kaltenbach.

Ele explica: “Este apego à profissão tem várias origens psicológicas e algumas curiosas”. Dentre elas, destaca-se o “Ego”. Primeiro é necessário aceitar o erro na decisão da escolha, o que normalmente costuma ser muito difícil e, por isso, muitos preferem continuar insistindo naquilo que não agrada, do que assumir conscientemente um equívoco passado.

Vaidade: Mesmo quando se admite o erro…

Ver o post original 474 mais palavras

Vídeo

Dupla evolutiva

A dupla evolutiva é uma técnica da projeciologia (ciência que estuda as projeções energéticas da consciência, através do duplo etérico e da própria consciência) onde o casal, opta por basear seu relacionamento na evolução espiritual.
Na relação, cada um dos parceiros evolutivos, ajuda o outro a ampliar sua consciência e tornar-se um ser melhor, mais consciente e desperto da ilusão terrena. Um auxilia o outro também em seus pontos fracos, suas travas emocionais, de forma lógica e amorosa, sem punição ou cobrança, mas revelando o que precisa ser trabalhado internamente.
Além disso, os parceiros evolutivos contribuem para evolução do planeta, sendo instrumentos de auxílio a terceiros, através de suas vivências práticas e aprendizado.

Nesta entrevista, Carlos Scopel, relata o conceito, missão e características de uma dupla evolutiva.